Atlético-MG domina Alianza para vitória crucial com placar “enganoso”

Igor Gomes pelo Atletico MG na Libertadores 2023 1

Na descida das tribunas para o campo, após o apito final de Atlético-MG 2×0 Alianza Lima, o presidente Sérgio Coelho disse: “Esse jogo será um divisor de águas”. Não seria exagero dizer que a atuação do Galo no Independência, na noite de quarta, pela Libertadores, foi a mais chamativa do ano. Assista aos gols no fim da matéria.

Eduardo Coudet também ficou nas tribunas, pois estava suspenso. Nem descer para os vestiários conseguiu. De longe, comemorou os dois gols de Igor Gomes no segundo tempo, para fazer justiça ao que acontecia nas quatro linhas, ainda que o placar tenha sido magro em relação ao volume de jogo.

Claro, neste aspecto, há as próprias falhas ofensivas do Atlético na conclusão de jogadas. Mas quando o time cria oportunidades, uma atrás da outra, e termina o jogo com 31 finalizações, é seguro dizer que o trabalho da comissão técnica foi bem desempenhado.

E era um Galo desfalcado de 10 jogadores. Maurício Lemos, Patrick e Saravia, dúvidas de véspera, foram cortados. Só o lateral está lesionado. Chacho/Ariel Broggi (seu auxiliar) escalaram um time com três zagueiros, que variava entre o tradicional 4-1-3-2, e uma linha de três (Fuchs de zagueiro/lateral direito), liberando Rubens e Pavón pelas pontas. Battaglia foi o cabeça de área, com Igor escapando pela esquerda, e Zaracho na direita. Em determinada fase ofensiva, Pavón virava um ponta, e Vargas cai mais à esquerda de Hulk.

Os dois, inclusive, estiveram entre os melhores em campo, numa noite de falhas da dupla de ataque formada por Hulk e Vargas. O artilheiro do Galo passou em branco pela primeira vez no Independência, ao perder pênalti aos 52 minutos do primeiro tempo. Na etapa inicial, a foto abaixo ilustra bem a torcida, com Eduardo Vargas errando duas chances claras de gol, a bola batendo em Jemerson quase em cima da linha, e subindo por cima da trave.

No segundo tempo, o Alianza Lima até tentou se arriscar mais e dar um trabalho inexistente a Everson até então. O Atlético seguiu perdendo um caminhão de gols – não era a noite de Hulk na parte individual. Mas, então, apareceu Igor Gomes, uma surpresa na escalação que teve Hyoran e Edenilson no banco.

O meia fez os dois primeiros gols com a camisa do Atlético, e em lances que não eram tão óbvios de balançar as redes. O placar foi inaugurado após Igor dominar uma bola alçada da direita para esquerda, dar dois toques para armar o chute, e bater de direita, rasteiro. No segundo gol, rebote após jogada de Zaracho, com chute seco de canhota. Foi o nome do jogo.

O Atlético finalizou quase 160 vezes nos últimos sete jogos. Dá uma média de 22 chutes contra o adversário. Nesse recorte de partidas, foram nove gols. O time cria, tem volume, colocou o Alianza Lima contra a parede. Por outro lado, precisa melhorar a eficiência nas conclusões da jogada. Algo que passa, também, pela confiança e segurança individual. E nada melhor do que vencer para injetar essa parte anímica.

Agora, o Galo soma os três primeiros pontos no grupo G, dormiu como terceiro colocado ao ultrapassar o Libertad, e vê hoje, pela TV, o duelo entre paraguaios e o Athletico-PR, às 21h, em Assunção. O Furacão tem quatro pontos, e poder ser o novo líder da chave.

Assista aos Gols

Inscrever-se
Notify of
guest

0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários

0
Comente o que achou da notícia!x