VaideBet ameaça rescindir contrato com Corinthians: Saiba os detalhes

Camisa Corinthians Vai de Bet aspect ratio 512 320

A VaideBet, patrocinadora master do Corinthians, enviou uma notificação extrajudicial ao clube no último dia 27, citando uma cláusula anticorrupção no contrato e mencionando a possibilidade de encerrar a parceria. Essa hipótese já havia sido levantada em um e-mail enviado uma semana antes.

No documento, assinado pelo advogado Plinio Augusto Lemos Jorge e o diretor executivo José André da Rocha Neto, a casa de apostas alega que a associação do nome VaideBet ao atual escândalo envolvendo a diretoria do Corinthians e a intermediadora tem tornado a relação contratual excessivamente onerosa. Segundo eles, essa vinculação negativa causa desprestígio, potencial prejuízo e risco de baixo retorno do investimento realizado no clube.

O escândalo mencionado pela VaideBet se refere à denúncia do “Blog do Juca Kfouri”, que apontou que a Rede Social Media Design, empresa que intermediou o contrato de patrocínio, repassou parte do valor recebido em comissão a uma empresa “laranja”, chamada Neoway Soluções Integradas em Serviços Ltda. Essa empresa estaria em nome de Edna Oliveira dos Santos, uma mulher residente em Peruíbe, litoral Sul de São Paulo, que nem sequer saberia da existência da mesma.

A Rede Social Media Design também recebeu o comunicado da patrocinadora.

Deixe um comentário

Augusto Melo, presidente do Corinthians, com boné de patrocinadora. Foto: Jozzu / Ag. Corinthians

Na notificação, a VaideBet informa que os fatos narrados representam uma efetiva violação da cláusula anticorrupção do contrato de patrocínio e dá dez dias para que o Corinthians apresente explicações sobre o caso.

A Polícia Civil está investigando possíveis ilegalidades envolvendo o pagamento da comissão, e o tema também está sendo apurado pelo Conselho Deliberativo do Timão.

Assinado no começo do ano, o contrato entre Corinthians e VaideBet tem validade até o fim de 2026 e prevê o pagamento de R$ 370 milhões. O clube recebeu R$ 60 milhões até o momento.

O clube se manifestou publicamente sobre o caso por meio de nota oficial no mês passado, reafirmando que “todas as negociações, incluindo patrocínios, foram realizadas de forma legal com empresas regularmente constituídas. O clube destaca que não guarda responsabilidade sobre eventuais repasses de valores a terceiros. Caso sejam apresentadas quaisquer provas de ilícitos, estes serão discutidos junto ao Conselho Deliberativo para providências que se fizerem necessárias”.

Inscrever-se
Notify of
guest

0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários